sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Um acústico pra lá de especial

Nos tempos em que as pessoas dizem que o rock'n'roll está quase morto, e nos tempos em que a MTV domina todo e qualquer tipo de "acústico", eis que surge uma exceção à regra.

capa do Acoustic, but Plugged In! (2011), do Hangar.
Contradizendo tudo o que foi definido para a cena nacional do rock'n'roll, principalmente a quase "underground", o Hangar surpreende todos com o seu mais novo trabalho, Acoustic, but Plugged In! (2011).

Desde o início dos anos 90, bandas como o Angra faziam shows acústico, mas em mais de 20 anos de carreira eles nunca tiveram a audácia que o Hangar teve de lançar um álbum acústico. Seguindo os passos do Angra, o Hangar também realizou shows acústicos em suas turnês, e baseado nisso a banda de Aquiles Priester decidiu gravar versões acústicas das músicas que marcaram a carreira do Hangar.
Hangar (da esquerda para a direita): Eduardo Martinez, Aquiles Priester, André Leite, Nando Mello e Fábio Laguna.

Escutei ontem todo o álbum, dentre as 15 músicas, o que eu achei um exagero, existem verdadeiras obras de arte e outras músicas que não se adequaram muito bem ao acústico. Mas, as partes boas prevalecem.

Os arranjos desenvolvidos foram excelentes e a maior surpresa foi escutar as músicas mais pesadas do Hangar em uma sonoridade acústica, sem o peso. Músicas como The Reason of your Conviction e The Infallible Emperor, listadas entre as mais pesadas do Hangar, ganharam uma conotação completamente diferente no acústico, o que as deixaram com um charme a mais.

Músicas como Solitary Mind e Based on a True Story, que já são "acústicas" por natureza se adequaram bem ao álbum, assim também como Dreaming of Black Waves, apesar da voz de Humberto Sobrinho fazer falta em algumas partes, não tirando o mérito de André, de longe um grande vocalista. Mas, o grande destaque do álbum vai para a nova composição do Hangar, Haunted by your Ghosts:






Essa música foi composta especialmente para o acústico e é uma música que fica na sua cabeça assim que você a escuta. Além da sonoridade, o que me chamou a atenção na primeira vez que a escutei foi a letra. A letra traz uma mensagem positiva, algo como Time to Forget, nos falando para esquecer o passado e seguir em frente.

Concluindo a audição do álbum, saí com uma boa impressão do novo vocalista, André Leite. Primeiramente, as críticas por ele tocar em uma banda gospel não tem nenhum fundamento, isso não o impede de tocar em uma banda de heavy metal. E também, gostei do terço que ele usa no pulso direito, fica quase como uma marca registrada. Sobre a sua voz, músicas como Based on a True Story fazem os fãs sentirem falta de Humberto Sobrinho, mas isso é normal com todo novo vocalista. Tenho certeza que André fará um grande trabalho no Hangar.

Enfim, gostei muito do novo álbum do Hangar, e quem quiser adquiri-lo basta dá um pulo na DieHard, eles entregam para todo o Brasil e o preço do álbum está muito bom para a quantidade de trabalho que foi investida nele.

2 comentários:

  1. Encontrei o álbum na internet para download, para quem quiser conferir.

    link: http://www.filesonic.com/file/2216173234#

    Quem gostar do álbum e quiser compra-lo, basta clicar no ícone da DieHard na postagem.

    \,,/

    ResponderExcluir
  2. muito bom este trabalho....show de bola!
    Também recomendo!!!!

    ResponderExcluir